Uncategorized — 30 Jul

Images (23)Quantas vezes você já agradeceu um pediatra por ter ido correndo para sua casa, à meia noite, num frio dia de inverno para atender o seu filho com febre?

Quantas vezes você acordou o seu pediatra {as 4 horas da noite porque seu filho começou a tossir sem parar?

Quantas vezes você deu um presente de Natal especial para o seu obstetra, pediatra, médico familiar, pelo carinho e atenção dispensada ao longo do ano?

Quantas vezes você deu uma gorjeta extra para o enfermeiro que trocou a sua fralda ou trouxe uma comadre às 3 horas da manhã?

Somos gratos eternamente a todos estes profissionais, que solocam tudo à nossa disposição na hora que precisamos.

Mas tem uma pessoa que nunca pensamos em agradecer.

Me refiro às esposas.


As esposas destes profissionais, que acreditem ou não, também acordam com o telefone, que sentem falta de um marido no meio da noite, que ficam sozinhas enquanto seus maridos estão ajudando vocês.

 Quantas vezes você agradeceu?

 Quantas vezes você ligou para o seu cardiologista no meio da noite, e pediu àquela voz sonolenta que atende, que você precisa falar urgente com o Dr. Jorge.

 E, quantas vezes você agradeceu aquela voz, que é a Sra. Jorge, por tê-la acordado no meio da noite?

 Mulher de médico é uma heroína.

Ninguém chega para ela chorando de alegria porque o marido salvou a vida de um filho, de um marido, de uma avó.

 Ela fica com o ônus, o médico com o bônus.

Agradecemos sempre os médicos que salvaram as nossas vidas e as dos nossos filhos, e esquecemos de agradecer as esposas.

Por isto quero em nome de todos os pacientes agradecer a solidão e solidariedade desta mulher anônima, sofredora, silenciosa e compreensiva. 

 Sei que muitas vezes você cuidou de filho seu, quando seu marido cuidava de filho meu.

 Sei que nós pacientes fomos insensíveis ao seu sofrimento, nem sabemos quem você é.

Perdoe-nos. 

Por isto, com todo carinho quero sinceramente deixar aqui registrado o nosso muito, mas muito obrigado. 

@StephenKanitz

 

Share

About Author

Stephen Kanitz

(14) Readers Comments

  1. Ameiiiiiiiiiiii !!! Obrigada … Eu passo por isso todos os dias … Sou esposa de ortopedista … Abs, Francis M. Rosa

  2. Agradeço a esposa do meu dentista, do veterinário, do zelador do prédio, do vizinho… e um dia, ei de encontrar um médico solicito e aí eu agradeço a ele e à esposa dele.

  3. Me digam onde encontrar um médico assim.
    O senhor está sendo muito otimista com os médicos.
    Só se encontra hoje em dia médicos que primeiro pensam no dinheiro do paciente e o doente que se dane.
    Não sejamos hipócritas. A máfia de branco é uma das mais sanguinárias.

  4. Que ponto de vista interessante!
    Excelente texto!
    Parabéns!

  5. É fácil encontrar um médico assim. Basta valorizar o trabalho dele. Isso significa pagar de forma decente o trabalho médico. Médicos não são mafiosos, são trabalhadores que pagam contas e impostos no final do mês.
    Pessoas que valorizam o trabalho médico são bem cuidadas pelos doutores. Pessoas que consideram os médicos mercenários receberão atenção proporcional em troca.
    Sou médica e esposa de médico. Meus pacientes recebem bom atendimento e atenção. Eles pagam por isso e eu mantenho as minhas contas em dia. Medicina é uma profissão, que eu faço questão de exercer com competência e amor. Pessoas que julgam médicos da forma como vc descreve, prefiro que não sejam meus clientes.

  6. A partir do momento em que o médico que lhe prestar cuidados receber pelo zelo a sua vida mais do que a manicure que lhe retira a cutícula vc vai perceber a necessidade do seu agradecimento.

  7. Stephen, concordo com você, esta, como milhoes de esposas espalhadas pelo mundo, faz de seus maridos excelentes profissionais e não aparecem.
    Mas, como estamos falando de medico, deixo aqui uma indignação com diversos medicos de minha cidade, as pessoas marcam hora para passar por consulta e é atendido mais de duas horas mais tarde.
    Isso é um desrespeito para com os paciente que por sua vez, são seus clientes.

  8. Olá a todos,
    brilhante como sempre em suas considerações Kanitz. O maior problema que vejo nos dias atuais é esse: doação.
    O ato de se doar em prol de terceiros e, ou de si mesmo, nos dias atuais não é comum. Basta lembrar-mos do exemplo da crucificação, ato de doação pela salvação da humanidade, deixado como exemplo, para notarmos que estamos falhos no quisito agradecimento. De qualquer forma, as mulheres são sempre um grande esteio na família, edificando essa grande instituição social.

  9. Mostrem o meu artigo A Coragem de Cobrar Caro.
    Eu cobro muito mais q eles por uma palestra de 1 hora, mas eu nunca cheguei atrasado.

  10. Interessante o ponto de vista, mas não somente mulheres de médicos passam por isso. O horário comercial acaba e enquanto muitos estão preocupados com o que vão se divertir, outros estão começando a jornada de trabalho.
    Estes profissionais também abdicam de suas famílias para trabalhar e normalmente são tratados de maneira hostil.

  11. Também sei o que e isso, sou esposa de cardiologista e sempre apoiei cada esforço dele para ser presente e atencioso com seus pacientes. Admiro meu marido por isso e agradeço ao autor a lembrança e a homenagem. Abraço
    Ligia

  12. Só medico que pensa em dinheiro mesmo… advogado não, comerciante não, engenheiro não, empresário nÃo, políticos NUNCA PENSAM EM DINHEIRO, arquitetos nÃo… CCB que nao se identifica porque nao tem coragem (leia-se, covarde), médico também precisa de DINHEIRO, afinal, mesmo lidando com vidas (isso deveria ser de graça no teu ponto de vista né), nós temos contas a pagar no final do mês, igual a voce, teus irmaos e teus pais. Aliás, lidar com vidas deveria ser remunerado muitissimo bem, o que nao acontece no nosso país. Procure um advogado e você verá a diferença…

  13. Crie um blog para poder desabafar minhas angustias e compartilhar meus sentimentos com outras mulheres de médico. Acessem aí amigas:
    http://mulherdemedico.blogspot.com/

  14. Gostei muito do blog!
    Parabéns!!!
    Muita saúde e bom trabalho!
    bjs

Leave a Reply