Uncategorized — 22 Sep

Di_vida_pu_blica_em_do_PIB_1850_2011A relação Dívida de um país como % do seu PIB tem sido usada sistematicamente por aqueles que querem disseminar pânico no setor financeiro, provavelmente ganhando com isto. 

Você investiria em títulos do governo Brasileiro, se a dívida ultrapasse 100% do PIB? 

Você exigiria um juro estratosférico para continuar financiando um país cuja dívida está prestes a ultrapassar 100%?  

Como esta previsão ao lado? 

Imagine dever MAIS do que o PIB.

Quando o Brasil chegou a 60% do PIB em 1986, boa parte sendo uma dívida externa, mais de 40 acadêmicos brasileiros entre os quais Prof. Celso Furtado, Profa. Maria Conceição Tavares, Prof. Paulo Nogueira Batista propuseram a Moratoria da Dívida Externa, por considerá-la impagável. 

Conseguiram a Moratória e uma década perdida. 

O erro ou engodo sendo cometido é fácil de desmascarar.

Uma dívida é paga ao longo de 20 a 30 anos, especialmente se for de um país.

Dividir uma dívida a ser paga ao longo de 20 anos, pelo PIB de um único ano, é obviamente um erro monumental.

Multiplicar o PIB por 30 anos, seria uma fórmula mais apropriada, adequando a dívida ao seu prazo de pagamento.

Neste caso daria uma relação Dívida/PIB bem menor, aliás 97% menor. 

Uma dívida que chega a "100%" do PIB, na realidade é uma dívida de somente 3,3% do PIB de 30 anos, isto se não houver crescimento. 

Se o PIB crescer 3% ao ano, algo razoável, então o número cai para 1,8% do PIB médio destes 30 anos. 

Entre pagar 100% em um único ano e 1,8% por ano por 30 anos há uma enorme diferença, mas quem não lê artigos escritos por Contadores jamais ficará sabendo disto. 

Você consideraria sensato comprar uma casa e morar nela já, comprometendo 1,8% da sua renda por ano? 

Você romperia com todos os Bancos Americanos que lhe financiaram por 30 anos a juros de 3% ao ano? É o que Celso Furtado e outros fizeram. 

Este indicador está novamente sendo veiculado na imprensa mundial, relativo a dívida "colossal" dos países Europeus e dos Estados Unidos

Total-us-debt-vs-gdp

A Dívida americana é de 360% do PIB, mas em 30 anos com um PIB e impostos crescentes, representa somente 7,5% por ano. 

E 7,5% é bem mais confortável do que 360% pago em um único ano, que obviamente nunca é o caso. 

Que Bancos, Hedge Funds e Especuladores contratem consultores para disseminarem pânico com estatísticas cientificamente apuradas, com o intento de aumentar os juros e a volatilidade é fácil de entender.

 

Dívidas são pagas ao longo de vários anos, e não em um ano só.

Além do fato que PIB nem é o indicador apropriado.

Share

About Author

Stephen Kanitz

(11) Readers Comments

  1. Professor mentindo para poder escapar da fome é intoleravel, pior e abominável é jornalista descomprometido com a ética, alimentando o engodo de notícias com intenções duvidosas.
    A dívida não é o problema, mas a qualidade sim, ou seja, onde foram aplicados esses recursos que geraram a dívida.

  2. Caro Mestre ,
    Seu racional de avaliação da dívida me parece muito apropriado . As referências aos economistas da velha ortodoxia socialista da decada de 80 tambem é correta ainda que não considere o viés de interesses políticos que corrompem a boa análise de economistas e economia vinda de qualquer especialidade , até de administradores . Ocorre que o que se vê e se propaga no mundo todo não é só matéria de boa economia mas as falácias já chamadas de Conventional Wisdom justamente amplificadas e multiplicadas pela mídia que dá ouvidos aos gurus e academias mla formadas e informadas . Posto isso quero lembrá-lo , que entre os gurus , academias e mídias estão muitos dos administradores ditos especialistas em finanças , aliás mais deles do que economistas bem formados .
    De um admirador de sua missão de questionar o conhecimento convencional , ainda que economista e engenheiro , mas de fato administrador há muitos anos !
    Abraço
    Marcos da Cunha Ribeiro

  3. Kanitz
    Muito boa esta observação sobre a relação dívida/PIB. É impressionante como as informações são divulgadas pela imprensa sem uma análise mais crítica.
    Infelizmente o senhor não vai ser chamado para dar entrevista, pois crise é notícia. É quando o circo pega fogo que os jornais dão audiência.
    Mande mais observações, pois quero acompanhar as boas notícias, o outro ponto de vista.
    Um abraço.
    Márcio.

  4. É por causa deste tipo de insight que continuo lendo seu blog. Muito obrigado!

  5. “Dívida é para ser administrada e não paga!”

  6. Existem outros erros maguinificos como este no dia a dia, o mais classico são as faixas de impostos se vc faturar x você paga x%, se voc^faturar x + y voce paga x% mais y% gente % é para relativizar algo 10% de Algo ja é um numero relativizado eu não posso criar escalas e criar dentro do mercado uma concorrencia desleal mas o governo publica e os jornalistas e economistas acham normal fazer o que? Não sou famoso então de nada adianta eu falar ou escrever um dia alguem famoso vai falar e ai as pessoas vão escutar….

  7. Caro Kanitz,
    Seu gráfico indica relação dívida/PIB de 360% em 2010, mas se o PIB e a dívida americana são ambos da ordem de US$ 14 Tri, então o correto não seria 100%?
    Obrigado!
    Wagner

  8. Não sou administrador, nem contador e nem economista. Gosto de ler os artigos por gostar de economia, para entender melhor e ver outra opinião sobre os tão falados problemas econômicos. Gostei muito da explicação. Nenhum país ou empresa ou pessoa paga uma dívida grande de uma vez. Uma comparação para pessoas (físicas) mais simplista… é como ter uma fatura de cartão de crédito que não pode pagar no mês. O que fazemos? Parcelamos a dívida e em alguns meses ela estará quitada.

  9. Professor
    Obrigado por explicar de maneira tão simples de modo que até um marketiro como eu pode entender.
    Como marketeiro nunca deixei de ter um bom contador no meu time.
    Parabéns ! Por isso que gosto de sempre dar uma passadinha por aqui.
    Gracio

  10. Tive a oportunidade de participar de uma palestra . tendo o Prof Kanitz como palestrante em 2009 , desde então ,não deixo de acessar seu blog , e ler seus ensinamentos e orientações . Mas o que me preocupa é..
    o Brasil escapa desta crise ??? Com quais consequencias ??

  11. A dívida não se paga em um ano, mas o serviço da dívida é cobrado todo ano. E o Brasil não consegue pagar nem isso (por isso não temos superávit nominal).
    Se o país chegar ao ponto em que não pode pagar o serviço da dívida, declara moratória.

Leave a Reply